Agora



Hoje, bem hoje - Quase agora..
Faz falta essa falta do que fazer.
É estar dentro e fora ao mesmo tempo.

Sobra de pouco.

Entre linhas e labirintos.
Descobrindo novos versos.

Falta de muito.

Era um hoje que parecia...
Ou ontem que remetia?

Segundos que transformaram horas em momentos absolutos de nada.
E preenchidos de tudo.

Por que Antes, bem antes...
O ontem.
Foi hoje.

2 comentários:

Jéssica Cruz disse...

Confuso...

Asas que ultrapassam os limites do Sol disse...

Oi Sarah, quando observo essa meninha virada de "cabeça pra baixo", entendo o que me falta às vezes: OLHAR POR OUTRO ANGULO! Não é mesmo?
Você conseguio me dizer que embora por condição uma criança esteja ainda começando e por isso lhe falte muito, ela se preenche com o seu mundo e então tem ausência da abundância... Por certo, acredito, a criança não precisa de tudo... de alguma forma ela entende sua NECESSIDADE de TODO. Sim, pois embora o tudo seja repleto somente e PRECISAMENTE o TODO é COMPLETO.
Perfeita está a sua sintonia...porque o seu poema é SOLTO, tal qual uma criança livre.
Um abraço,
Hilda freitas, Belém